De famílias, para famílias: Um DF mais sustentável.

De famílias, para famílias: Um DF mais sustentável.

Realizada no dia 2 de setembro, a II Feira Novo Encanto: Por um DF Sustentável, proporcionou um dia de vivências e de aprendizados voltados para a sustentabilidade no cotidiano dos brasilienses que por lá passaram.

O evento, prestigiado por cerca de 200 pessoas, contou com seis estações ecológicas, cada qual com um tema importante tangente à sociedade e ao meio ambiente e todas com o mesmo objetivo: incentivar práticas mais conscientes.

Para Edison Saraiva, um dos sócios fundadores da instituição e membro da organização do evento, o modelo da Feira ”tem um movimento que procura estabelecer algumas canaletas para fluir cada vez mais a água, e essa água tem diversos componentes, um fluxo, figuramente falando. Não é algo passivo, tem um movimento: são drops de informações que as pessoas vão buscar. (…) E por ser de família, gera uma corrente. ”

Entre os benefícios trazidos pela Feira, Edison aponta a de ”colocar uma lente nos olhos das pessoas, porque existe uma miopia para as pessoas enxergarem esse assunto. As pessoas têm interesses por coisas não tão sérias, mas, gera uma maior seriedade para esse assunto, que é o objetivo: você ser o dono da sua vida na medida que você é um consumidor; aprender a consumir e dar seu voto a um consumo consciente.”

A Feira também atendeu mais de 50 crianças, as quais usufruíram de uma programação especialmente para elas. Foram realizadas oficinas de confecção de brinquedos a partir de materiais recicláveis, preparo de tintas naturais e de argila.

O Diretor Executivo da Associação Novo Encanto, Carcius Azevedo, afirma ser de fundamental importância a presença de tantas crianças, que ”tiveram momentos bonitos de experimentar atividades que certamente estarão guardadas em sua formação de agentes transformadores de realidades. ”

Carcius conclui que o principal legado da Feira é a Novo Encanto, aos poucos vir se firmando como ONG, a qual está muito além de fomentar críticas e manifestos, mas que tem sua importância quando atua sob o lema da paz e da não violência. Atuação essa que vem crescendo e deixando frutos de mais consciência e conhecimento de como agir e se responsabilizar para termos um mundo mais harmônico com a natureza.

Das Seis Estações

A primeira estação visitada pelos grupos foi a da Novo Encanto, a qual apresentou uma breve introdução à história da ONG, sua criação, suas áreas protegidas e seus projetos realizados, de forma a contextualizar o papel e a atuação da Novo Encanto.

Na segunda estação, a de Aproveitamento de Resíduos Sólidos, o visitante pôde receber informações a respeito dos diferentes tipos de resíduos produzidos em sua casa e qual a melhor forma de dar-lhes um destino apropriado.

Em seguida, a Estação de Saúde Alimentar mostrou os alimentos “maléficos e benéficos’’ encontrados no supermercado. A Estação apresentou ainda informações a respeito da imensa quantidade de agrotóxicos concentrada em alimentos consumidos, levando os brasileiros a serem um dos maiores consumidores de agrotóxicos.

A quarta estação, de Permacultura Urbana compartilhou formas de possibilitar a criação de ambientes humanos sustentáveis e produtivos em equilíbrio e harmonia com a natureza, a partir dos três pilares da Permacultura: Cuidar da Terra, Cuidar das Pessoas e Repartir os Excedentes.

Economia e preservação de água foram alguns dos temas tratados na Estação de Aproveitamento de Água. Com o objetivo de promover a conscientização e a instrução da sociedade sobre a importância de preservar água, foram apresentadas formas de aproveitamento das águas das chuvas, entre outras formas de redução do consumo doméstico de água potável.

A última estação introduziu teorias a respeito da praticidade e eficácia da energia solar. A Estação de Eficiência Energética e Energia Solar apresentou estudos sobre a potencialidade da energia solar, excepcional em comparação com todas as outras fontes de energia.

 

Texto: Julia Morena Andrade

No Comments

Post A Comment

− 1 = 2

css.php