NOVO ENCANTO FORMA GUARNIÇÃO DE COMBATE AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS NO DF

NOVO ENCANTO FORMA GUARNIÇÃO DE COMBATE AOS INCÊNDIOS FLORESTAIS NO DF

O período de seca, que ocorre de maio a outubro, é tempo de estar alerta para os riscos de queimadas no Distrito Federal (DF). Pensando em evitar perdas ambientais e materiais causadas pelo fogo, em 17 de junho, uma articulação da Novo Encanto e a Secretaria de Meio Ambiental do DF (Sema-DF) proporcionou treinamento e equipamentos para formar a Guarnição de Combate aos Incêndios Florestais Novo Encanto (G-CIF).

Ministrado pelo Corpo de Bombeiros do DF, o treinamento reuniu cerca de 40 agrofloresteiros, monitores da Novo Encanto e do Departamento de Plantio e Meio Ambiente, nos núcleos do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal (CEBUDV), instituição parceira da Organização por meio de um termo de cooperação técnica.

“Agora cada núcleo tem sua pequena brigada de combate a incêndio florestal, com abafadores, bomba costal e gente treinada”, diz Leonel Generoso, membro do Conselho Diretor da NE. Entretanto, ele explica que se trata de uma brigada para o primeiro combate, que é diferente de brigadistas profissionais.

André Lima, secretário de Meio Ambiente do DF, destaca que o incêndio florestal é um dos maiores problemas ambientais enfrentados na região do Cerrado, além da crise hídrica. Por isso, ele avalia a iniciativa como positiva.

“Alguns núcleos aqui em Brasília já sofreram muito com incêndios. Além de estarmos nos guarnecendo, nos qualificando para poder fazer um primeiro enfrentamento do problema, estamos também contribuindo com a proteção do Cerrado no Distrito Federal. Parabéns à Novo Encanto e a todos os monitores que se envolveram nesse treinamento”, disse André.

Ao final do curso, os voluntários confeccionaram mais de 40 abafadores de fogo. A prática foi considerada importante pelo participante Bruno Uchoa, sócio no núcleo Rei Hoasqueiro. “O curso passou orientações importantes, ensinando a forma correta de dar uma primeira resposta em caso de queimada. Também achei importante aprender a fabricar os equipamentos”, avaliou.

Nesse momento inicial, a Guarnição de Combate aos Incêndios Florestais se capacitou para dar uma primeira resposta ao fogo, mas o trabalho não deve parar por aí.

André Lima adianta que o próximo passo deverá ter foco na prevenção. “Estamos começando a conversar sobre projetos de aceiro negro, que é a queimada controlada e autorizada por órgão ambiental responsável. Quando a gente passa a queimar de maneira controlada, reduz a biomassa e o risco de incêndios descontrolados diminui expressivamente.”

 

Texto: Gabriela Lima, Assessora Regional de Comunicação da 8ª Região

Fotos: Aguinar Santos

 

No Comments

Post A Comment