Em retomada das expedições, Novo Encanto reúne 50 pessoas do Brasil e do exterior em 26ª Expedição ao Seringal

“Ouço um som ao fundo de mim mesma. Uma voz que, delicada e firme, chama meu ser para embarcar. Sem duvidar, sigo em sua direção em busca do meu tesouro, aquele que há tanto tempo procurava, com a certeza no coração de um dia encontrar. O destino: o Norte. 

Acre e Amazonas. Seringal Novo Encanto.

Novas e largas paisagens dentro e fora de mim. 

Lá chegando, fui procurar Quem eu fui encontrar e lá estava Ela… majestosa da raiz à copa, como se, fincada na terra, também segurasse o céu.

Toquei a Samaúma e, entre lágrimas, disse ‘eu consegui chegar’… Um longo abraço de uma filha que reencontra a mãe e nela repousa seu cansado coração.

Não sei dizer quanto tempo esse encontro durou, mas, na memória, ele dura uma eternidade e, ainda ao fechar os olhos, lembro e revivo a grandeza daquela emoção.

A Mãe, a Princesa no Florestal. Seu Amor estrondou em mim.

Samaúma.

Palavras não alcançam o sentimento profundo do Sagrado vivido naquele abraço. Mas estou aqui tentando traduzir o que meu coração sentiu e ainda sente. Como se todo meu passado e todo meu futuro estivessem ali naquele momento presente.

Não havia tempo nem espaço. Existíamos apenas Ela, eu e a Força.”

Eloisa Murbach Arbigaus.

O encontro com a Samaúma compôs a programação da 26ª Expedição ao Seringal Novo Encanto, que aconteceu de 17 a 21 de novembro de 2021. A atividade, que marcou a retomada das expedições, reuniu em torno de 50 pessoas que se propuseram a vivenciar momentos de comum-união com a Natureza, conforme diz a Carta de Princípios da Novo Encanto.

Ouvindo o chamado da Natureza, deixamos nossas residências, em diferentes Estados do Brasil (Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Rondônia e São Paulo) e dos Estados Unidos (Washington), encontramo-nos em Rio Branco (AC) e dali fomos com o ônibus da Novo Encanto até o município de Lábrea (AM) onde fica o Seringal.

Localizado em uma área de mais de 3.000 hectares de floresta Amazônica preservada, o Seringal é administrado pela Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, braço ecológico do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. A sede do Seringal tem uma excelente estrutura para receber os expedicionários, com redários telados, algumas camas para quem precisa, espaço para camping, um refeitório amplo, diversos banheiros e casas de seringueiro que recriam o modo de vida dos trabalhadores da floresta.

Para aproveitar bem os momentos especiais em meio à floresta Amazônica, desconectamo-nos da internet e de nossos compromissos na cidade. Na programação tivemos atividades ecológicas, espirituais e culturais, como a Vivência do Seringueiro com o Sebastião, zelador do Seringal. Com a alegria que lhe é característica, ele nos mostrou o trabalho de extração da seringa e contou de sua experiência de anos como seringueiro.

Além disso, tivemos uma palestra dos 9 Vegetal (Breuzin, Apuí, Samaúma, Pau D’Arco, Castanheira, Mulateiro, Imburana de Cheiro, Maçaranduba e Carapanaúba), trilha pela mata, banhos no igarapé do Iquiri, passeio de barco pelo rio, confraternização ao redor da fogueira e shows de música ao vivo realizados por dois expedicionários, o Amâncio e o Gustavo.

Na trilha pela mata, além da Samaúma, reconhecemos outras plantas nativas, como o Mariri e a Chacrona. Depois de mais de uma hora de caminhada, sentamos à sombra de um Apuí, outra árvore grande e imperiosa, onde alguns de nós manifestaram seus sentimentos. Ouvimos algumas músicas e depois, em silêncio, demos as mãos para abraçá-lo.

Entre os presentes, não foram poucos os que se emocionaram ao conhecer essas plantas consideradas sagradas e sentir sua força espiritual.

Distinta de outras instituições ambientalistas, a Novo Encanto tem como princípio o despertar para a ecologia por meio da espiritualidade. Nesse sentido, cada um de nós, expedicionários, pôde conhecer mais de nossa própria natureza humana e encontrar, na simplicidade da floresta, uma força potente que nos conduz ao autoconhecimento e à transformação.

Entre os sons dos pássaros e do vento divino que toca as plantas, sentindo o sol em nossa pele ou observando as estrelas que brilham no céu do Seringal, pudemos refletir a respeito do Sagrado, expandindo nossa compreensão de Deus, criador de tudo quanto há. E percebemos nossa responsabilidade perante a Natureza, que é superior ao ser humano, como também traz a Carta de Princípios.

Esse encontro com a Natureza e com pessoas de distintas origens geográficas, que estavam ali com um mesmo propósito, nos fortaleceu, emocionou, gravou em nosso coração e em nossa memória momentos que se tornaram infinitos.

Esperançosos em dias melhores, voltamos do Seringal dispostos a sermos multiplicadores do que vivemos nesse pedaço de terra especial, tão bem cuidado pelos responsáveis pelo Seringal e pelos zeladores, André e sua família, também Sebastião e Antonilda, casal amoroso que nos recebeu de braços abertos, e por outras valorosas pessoas, como o Óscar e o Venilson, conhecedores da floresta e generosos ao transmitir seus conhecimentos.

Em nome dos expedicionários dessa 26ª Expedição, somos gratos a todas as pessoas que participaram da organização, entre eles, Thiago Beraldo, presidente da Novo Encanto, José Roberto Barbosa, diretor de gestão do Seringal Novo Encanto, Mário Marques Neto, Mestre Central da 7ª Região da UDV, e Jean Bonazoni, coordenador regional da Novo Encanto na 7ª Região, e a presença marcante de Anchieta Torreão e de Jandira Gabriel, pelos quais agradecemos todos os convidados.

Agradecemos, ainda, as pessoas que com fraternidade e alegria auxiliaram em nosso traslado em Rio Branco e, em especial, às meninas que preparam com amor as saborosas refeições: Dôra, Glaucia, Fátima, Adalgiza, Eliete, Maria Luísa e Lucila. Cada uma dessas pessoas foi importante para que nos sentíssemos bem e felizes. Nossos sinceros abraços em todos.

Desejamos que mais pessoas possam conhecer a Novo Encanto, essa instituição que vem prestando um importante serviço ao preservar a floresta Amazônica e ao realizar diversos outros projetos no Brasil e no exterior. Também desejamos que mais pessoas possam ir ao Seringal, sentir-se parte integrante dessa mesma Natureza Sagrada.

*Vinícius Maurício de Lima é de São Paulo (SP), autor do texto.
**Eloisa Murbach Arbigaus é de Curitiba (PR), depoimento inicial.
***Fotos: Thales Vasconcelos e Luan Santos

Comments 1

  1. Muito bonitos o texto, depoimento e as fotos dessa expedição. Me fez sentir um pouco do que vivenciaram nesta experiência! Gratidão e parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.