Novo Encanto realiza homenagem ao Mestre Monteiro e ao Núcleo Pupuramanta

Novo Encanto Institucional Deixar Comentário

O Presidente de Honra da Novo Encanto, Mestre Raimundo Monteiro de Souza junto com o Mestre Representante Avelino, a direção e irmandade do Núcleo Pupuramanta realizaram, no dia 03 de setembro, a inauguração de uma placa em homenagem à constituição formal da nossa querida Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico.

O objetivo da Novo Encanto foi fazer uma homenagem ao primeiro presidente, os sócios fundadores, a primeira diretoria e ao Núcleo Pupuramanta, localizado em Vargem Grande, Rio de Janeiro (5ª Região) onde aconteceu a fundação da associação.

A inauguração da placa registra a bela história da Novo Encanto que vem trabalhando pela conscientização que “a Natureza serve ao homem porque lhe é Superior” e que “Encontramos a nossa verdadeira humanidade a medida em que nos tornamos um canal da expressão da Natureza Divina, um canal de Ser-Vir” como fala nossa Carta de Princípios .

“Porque que criamos a Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico? Esse pensamento não foi meu, foi do M. Luiz Maciel do estado do Acre, apoiado pelo M. Luiz Gonzaga, também do Acre e que era vereador na época. A iniciativa foi de preservar uma área de floresta onde estava havendo muito desmatamento no estado do Acre e Rondônia. Mantive esse nome porque era o nome do Seringal que ele já estava prevendo comprar, Seringal Novo Encanto.

O Núcleo Pupuramanta é o local de origem da fundação da instituição Novo Encanto. Hoje já é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip)”, explicou o M. Monteiro.

A Institucionalização da Novo Encanto

A preservação e o uso sustentável dos recursos naturais já é uma idéia plantada pelo Mestre Gabriel desde a década de 1960 quando ele junto com os primeiros irmãos compraram um terreno no município do Jaru em Rondônia para zelar pelo Mariri e Chacrona.

Mais na frente na década de 1980, o M. Representante do Núcleo João Lango Moura, m. Maciel junto com a irmandade sentiram a mesma necessidade quando o Chacronal nativo que utilizavam foi derrubado por um fazendeiro. Nasceu daí o querer de comprar um seringal no Acre.

Muitas aventuras aconteceram como a ida dos m. Maciel, Gonzaga e da C. Nancy para os Estados Unidos da América e o contato com o M Jeffrey, até que em dezembro de 1989, houve uma reunião em Brasília com MGR m. Braga, e os mestres Monteiro, Edison Saraiva, Felipe Belmonte, José Mauro, Maciel e a C. Nancy. Nesta reunião ficou decidida a criação de uma entidade civil, independente juridicamente do CEBUDV mas ligada ao Centro pelos seus altos propósitos espirituais para receber aquela doação do Seringal. O M Braga determinou que o M. Monteiro, no momento MR do Núcleo Pupuramanta, ficasse a frente desse trabalho.

Assim, em 30 de Janeiro de 1990, foi institucionalizada, no Núcleo Pupuramanta, a Associação de Desenvolvimento Ecológico Novo Encanto, sendo o M. Monteiro o 1º Presidente e recebendo o apoio de valorosos irmãos que formaram a primeira Diretoria, e o apoio também do Quadro de Mestres do Núcleo Pupuramanta que assinaram a ata e tornaram-se sócios fundadores da Novo Encanto.

Primeira Diretoria da NE:

1º Presidente – Raimundo Monteiro de Souza
1º Vice-Presidente – Luís Maciel da Costa
2º Vice-Presidente – Luís Gonzaga Alvez Filho
1º Secretário – Nancy Mangabeira Unger
2º Secretário – Flávio Gordon
1º Tesoureiro – Antonio Francisco Fleury
2º Tesoureiro – Sérgio Ganelli

Sócios Fundadores da NE:

Raimundo Monteiro de Souza
Luís Maciel da Costa
Luís Gonzaga Alvez Filho
Nancy Mangabeira Unger
Flávio Gordon
Antonio Francisco Fleury
Sérgio Ganelli
Paulo Tasso Monteiro Freire
Mauro Vieira de Freitas
Josias da Costa Machado
Godofredo Florito Vianna
Fernando Antonio Portugal Guimarães
Henrique Rosevelt Boechat
Benedito Paulo da Luz
Celso Luiz Monteiro Freire

“Somos gratos ao m. Monteiro e todos os irmãos de visão que fizeram parte do início da história da Novo Encanto, o braço ambiental da UDV. Nosso pensamento foi registrar através dessa singela homenagem, nossa gratidão ao n. Pupuramanta e à todos que estiveram presentes nesse momento tão importante para nossa associação, que hoje, vem promovendo diversas ações em prol de um ambiente mais equilibrado, do desenvolvimento sustentável e da formação de um consciência mais ampla do papel do ser humano dentro da Natureza Divina”, destaca M. Thiago Beraldo, atual Presidente da NE.

“Sou grato também ao mestre representante, M Avelino de Freitas Martins e ao presidente, M. Stenio Enrique Ramos do Núcleo Pupuramanta por abraçarem essa ideia, assim como também a monitora local, Monique Araujo de Oliveira Bretas e ao coordenador regional, C. Flávio Pacheco pelo empenho na realização. Meu desejo que o N. Pupuramanta possa, cada vez mais, perceber sua importância para a Novo Encanto e que continue sendo um bom exemplo na implementação desse trabalho.”

Ata da Assembleia de Fundação

Consta da Ata da Assembleia de Fundação da Entidade a proposta da “(…) constituição de uma associação civil, sem fins lucrativos para trabalhar pelo desenvolvimento ecológico, defender a vida e participar da manutenção da Paz, através da promoção, preservação e restauração do equilíbrio e da harmonia, nas múltiplas relações entre os Homens e a natureza. Propôs outrossim que a referida associação se denominasse Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, sendo as duas propostas aprovadas por unanimidade.(…)

Em seguida o sr. Presidente propôs que o primeiro trabalho efetivo da associação fosse a aquisição do Seringal Novo Encanto, no Estado do Amazonas, tendo em vista a disponibilidade dos recursos financeiros oriundos de uma doação suficiente para essa aquisição. No Seringal será implantado um projeto de desenvolvimento ecológico, tendo sido aprovado pelos presentes.(…)

A Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico tem por objetivos:

a) Defender a VIDA e participar da manutenção da PAZ, através da promoção, preservação e restauração do Equilíbrio e da Harmonia nas múltiplas relações entre os Homens e a Natureza atuando à nível local, regional, nacional e internacional;
b) Atuar em prol da conservação dos ecossistemas naturais, em especial, da grande floresta amazônica.
c) Promover o estudo e a pesquisa do meio ambiente, identificando seus principais processos e suas implicações na saúde e bem estar públicos;
d) Promover o estudo e o incentivo a novas formas de organização social que tragam em sí os princípios do cooperativismo, da auto-suficiência, da tecnologia alternativa e da integração entre o Homem e a Natureza.
e) Organizar, promover e apoiar a realização de cursos, conferências, debates, palestras e outras atividades que venham a contribuir para a educação ambiental e a formação de uma consciência ecológica;
f) Promover projetos específicos de desenvolvimento auto-sustentável e ecologicamente equilibrado em áreas que serão selecionadas ou adquiridas para tanto.
g) Produzir e divulgar material informativo educacional, de acordo com as finalidades previstas neste Estatuto;”

Link para a Ata original

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.